APÓS POLÊMICA, IX BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE PERNAMBUCO TEM PROGRAMAÇÃO ANUNCIADA - Portal Abreu e Lima em Destaque

Notícias

Portal  Abreu e Lima em Destaque

O maior Portal de Notícias da cidade de Abreu e Lima-PE

test banner

Post Top Ad

test banner

Post Top Ad

test banner

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

APÓS POLÊMICA, IX BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE PERNAMBUCO TEM PROGRAMAÇÃO ANUNCIADA

A pouco mais de uma semana da IX Bienal Internacional do Livro de Pernambuco e após muitas polêmicas com a Associação do Nordeste dos Editores e Distribuidores de Livros (Andelivros), a Cia. de Eventos, produtora da feira desde 2001, anunciou, nesta quarta-feira (25), a programação da sua Bienal. Com o tema Literatura, futebol e identidades nacionais, o evento será realizado de 4 a 13 de outubro, no Centro de Convenções, em Olinda, no Grande Recife. A novidade é que este ano conta com atividades em outros espaços da Região Metropolitana.

O tema estará presente em várias atividades ao longo do evento, sendo debatido sob vários pontos de vista: esportivo, literário e histórico. Saiba quais são os debates sobre o assunto:
05/1015h30Futebol é muita históriaCarlos Lopes conversa com Inácio França e Marcos Guterman
10/1017hFutebol em imagensJuliana Andrade Leitão conversa com Caio Vilela e Edvaldo Rodrigues
10/1019hMega eventos esportivos no Brasil: debatendo os legadosAlexandre Zarias conversa com Arlei Sander Damo e Cristiano Borba do Nascimento
11/1017hFutebol e identidades nacionais: quem são os libertadores da AméricaMarcelo Cavalcante com Paulo Henrique Martins e Juan Pablo Martín
12/1017hCrônicamente craques: Mario Filho, Nelson Rodrigues e José Lins do RêgoAllan Monteiro conversa com Fátima Martin Antunes e Túlio Velho Barreto
12/1019hTroca de passes: futebol e literaturaÁlvaro Filho conversa com José Roberto Torero
Uma das novidades é que, para fugir do barulho da feira, essas e as outras discussões que compõem o já tradicional Círculo das Ideias, principal espaço da bienal, serão realizadas no Auditório Ribeira. O Auditório Beberibe receberá a quinta edição do Congresso Brasileiro de Escritores em Pernambuco simultaneamente.
PRIMEIRO DIA - A mesa que inicia a IX Bienal será o Paiol Literário Especial, que acontece pela segunda vez no evento pernambucano e antes era realizado somente em Curitiba (PR). Na mesa, que começará às 14h, será uma conversa entre Rogério Pereira e Xico Sá. De acordo com o curador do evento, Wellington de Melo, o escritor deverá falar sobre o seu mais novo livro, o Big Jato, que, embora não tenha o futebol como temática, permeia o esporte.

Ainda no primeiro dia, os prestigiados Cícero Belmar e Luzilá Gonçalves participarão de conversa sobre as suas leituras de Gilvan Lemos, na mesa de debate O Gilvan que eu li, às 16h. Gilvan Lemos é um dos homenageados da nona edição da bienal e terá seus livros - O anjo do quarto dia e Emissários do diabo - lançados pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). Antônio Maria, Eurico de Barros e Silva, José Cortez e Tarcísio Pereira são os outros homenageados.

Mas a programação geral começará ainda no próximo dia 3, com a Pré-Balada Literária, evento realizado em São Paulo pelo pernambucano Marcelino Freire. Ele também participa da edição pernambucana, trazendo nomes da literatura do Estado e jovens autores nordestinos. Participam: Gero Camilo, Nelson Maca, Allan Jones, Ícaro Tenório, Helder Santos e Vertim Moura. O evento acontecerá no Teatro Arraial, na Rua da Aurora, Centro do Recife, às 19h.

CURSOS - Além dos debates e da venda de livros, a Bienal do Livro de Pernambuco também oferecerá três cursos gratuitos, que já tiveram as inscrições encerradas. O primeiro será a Oficina de Crônicas, com Humberto Werneck, que mostrará nos dias 5 e 6 um dos gêneros mais consolidados para abordar o futebol. Nos dias 7 a 9, Fernando Monteiro ministrará o curso Literatura e cinema. O mais procurado deles foi o de Pornografia e erotismo na literatura, de 11 a 13. Foram oferecidas 200 vagas para cada um deles.

MOVIMENTO CARTONEIRO - Um dos destaques da programação este ano é a apresentação desse movimento que surgiu na Argentina e estimula a produção e o consumo solidário de livros, através da impressão de títulos com a capa em papelão comprado de cooperativa de catadores. Na IX Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, a editora francesa Cephisa Cartonera oferecerá oficinas de encadernação e lançará os contos de pernambucanos vencedores do I Prêmio Internacional de Literatura Cartoneira. O primeiro lugar foi Pródigo, de Fábio Andrade; o segundo, Dona Leda, de Renato Moreira; e o terceiro, Esse último sorriso, de Bruno Liberal.

AÇÕES DESCENTRALIZADAS - A Bienal do Livro deste ano tem entre as atividades principais o II Encontro de Bibliotecas. A abertura cultural do encontro será no dia 9, às 14h, com Silvério Pessoa. Antes disso, no dia 8, às 17h, as colombianas Silvia Castrillón e Luz Estela Peña Gallego conversam com Cida Fernandesz sobre "Identidade, bibliotecas e pertencimento: a experiência colombiana". Silvia, teórica responsável pelo modelo que diz que as bibliotecas devem estar integradas à comunidade, e Luz, do modelo da cidade de Medellín, farão também visitas às unidades da Releitura no Coque, Centro do Recife, e de Peixinhos, em Olinda, para fazer trocas de experiências com os gestores delas.
O ator Adriano Cabral participará de outra atividade de destaque na programação fora do Centro de Convenções. Do dia 11 até o dia 13, ele contará estórias em vários locais do Recife: Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), Hospital Infantil Maria Lucinda, Hospital Barão de Lucena e Abrigo de Idosos Cristo Redentor. O espetáculo Baú Encantado também será encenado no Núcleo de Apoio à Criança com Câncer (Nacc), no dia 11, às 15h.

NÚMEROS - Com orçamento de R$ 3,6 milhões, o evento tem apoio de 30 entidades. O Governo de Pernambuco, que incentivava financeiramente a feira, não anunciou que apoiará a bienal está ano. A Secretaria de Educação também retirou o bônus para a compra de livros para professores da rede estadual depois da disputa com a Andelivros. Apesar disso, o Rogério Robalinho afirmou nesta manhã que ainda aguarda outro posicionamento do Estado. "A articulação feita com o poder público é para mostrar que o livro é um item de primeira necessidade, um produto transcendente por ser o principal instrumento de difusão do conhecimento", disse.

O produtor preferiu não falar sobre a expectativa de público para a nona edição da Bienal. "Não há preocupação com esses números. Nunca procuramos ser o Galo da Madrugada. O nosso objetivo é cumprir o papel de ampliar a base de leitores", afirmou Robalinho. Entre os números, a Cia. de Eventos anunciou que são 192 convidados para esta edição da bienal, sendo 130 deles autores. Serão 94 mesas e atividades na programação. Apenas 80% do espaço do pavilhão do Centro de Convenções já foram reservados pelos expositores.

Via Jc Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

test banner