SEM PODER POLÍTICO, EX-PREFEITO É “DESOMENAGEADO” PELO MUNICÍPIO DE ABREU E LIMA

Sem alarde, o ex-prefeito de Abreu e Lima, Jerônimo Gadelha (PDT), teve retirada uma homenagem na cidade ao seu nome. Que coisa… Porl ei municipal, já publicada no Diário Oficial, seu nome foi retirado de uma escola municipal da cidade. Segundo a lei assinada pelo atual prefeito, Pastor Marcos José (PSB), a escola passou a ser denominada Neusa Costa Rodrigues. Não se sabe, ainda, os bastidores da “desomenagem” do ex-prefeito. A escola fica no bairro de Caetés I, tendo 10 salas de aula.

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Jerônimo Gadelha já foi um dos prefeitos mais importantes da região metropolitana, cortejado por governadores, deputados e demais políticos. 

Sua queda na política, de acordo com moradores de Abreu e Lima, começou com a suposta “traição” de seu sobrinho, o ex-prefeito Flávio Gadelha (PMDB). Segundo os moradores locais, eleito prefeito em 2004, Flávio rompeu com o tio, seu padrinho político, apenas horas após de sair o resultado das urnas. 

Apesar de tentativas posteriores se eleger prefeito da sua terra, Jerônimo sofreu sucessivas derrotas. 

Em 2016, chegou a desistir de ser candidato, pois estaria impedido pela Lei de Ficha Limpa. 

No site do TCE, todas as suas contas constam como rejeitadas. 

Em 2016, Jerônimo lançou a sua filha Kátia Gadelha (PDT), que foi secretária de Educação na gestão do pai. Kátia foi derrotada pelo atual prefeito, Pastor Marcos, que conseguiu a reeleição.