DICAS DE SAÚDE: COMO DIABETES AFETA AS MULHERES – SINTOMAS E RISCOS!


Entre 1971 e 2010, a taxa de mortalidade das mulheres com Diabetes caiu, segundo um estudo. Este foi um grande passo, refletindo os muitos avanços no Tratamento da Diabetes. No entanto, a diferença em taxas de mortalidade entre mulheres que tinham Diabetes e aquelas que não tinham mais do que duplicou. Este estudo com homens e mulheres apresentou várias razões possíveis para as diferenças de gênero. As razões incluíam:
  • As mulheres muitas vezes recebem um tratamento menos agressivo para fatores e condições de risco cardiovascular relacionados à Diabetes.
  • As complicações de diabetes em mulheres são mais difíceis de diagnosticar.
  • As mulheres muitas vezes têm diferentes tipos de doença cardíaca em comparação com homens.
  • Os hormônios e inflamação respondem de modo diferente em mulheres.
Os resultados enfatizam como diabetes afeta as mulheres e homens de modo diferente.
Sintomas da Diabetes nas Mulheres: Os Sintomas da Diabetes na Mulheres são poucos diferentes dos homens. Porém,há alguns sintomas que são únicos às mulheres. Entender ambos ajudará a identificar a doença e encontrar tratamento logo. Os sintomas únicos nas mulheres incluem:
  • Infecções por fungos vaginal e oral e candidíase vaginal.
  • Infecções urinárias.
  • Disfunção sexual feminina.
  • Síndrome do ovário policístico.
Sintomas sofridos pelas mulheres e homens:
  • Aumento da sede e fome.
  • Micção freqüente.
  • Perda ou ganho de peso que não tenha causa óbvia.
  • Fadiga.
  • Visão embaçada.
  • Ferimentos que cicatrizam lentamente.
  • Náusea.
  • Infecções de pele.
  • Manchas de pele mais escuras.
  • Irritabilidade.
  • Respiração que tem odor doce, frutado ou de acetona.
  • Sensação reduzida nas mãos ou pés.
É importante manter em mente que muitas pessoas com diabetes tipo 2 não têm sintomas perceptíveis.
Gravidez e Diabetes: Se a mulher tiver Diabetes e estiver grávida ou com esperança de se tornar gestante, estar ciente dos desafios de manter a própria saúde e a do bebê. Os níveis de glicose no sangue e saúde geral necessitam de monitoramento antes e durante a gravidez. Além disso, Quando a mulher está grávida, a glicose no sangue e cetonas são transportadas através da placenta ao bebê. Os bebês necessitam de energia da glicose apenas como a mãe. No entanto, os bebês estão em risco de defeitos de nascença se os níveis de glicose estiverem muito altos.
Diabetes Gestacional: A diabetes gestacional acontece em aproximadamente uma em 20 gestações. Os hormônios da gestação interferem com a maneira que a insulina trabalha. pois, faz o corpo produzir mais. Porém, Na maioria das mulheres, a diabetes gestacional desaparece após a gestação. Mas, se a mulher teve diabetes gestacional, o risco para diabetes tipo 2 é muito maior.
Fatores de Risco: Segundo Office on Women’s Health, U.S. Department of Health and Human Services, ( é um tipo de Departamento de Saúde e espiciamente para mulheres nos Estados Unidos) há risco para diabetes tipo 2 se:
  • A idade for superior a 45 anos.
  • Ocorrer sobrepeso ou obesidade.
  • Ter um histórico familiar de diabetes (pais ou irmão).
  • Teve um bebê com um peso de nascimento maior do que 4,08 kg.
  • Teve diabetes gestacional.
  • Ter pressão arterial elevada.
  • Ter colesterol alto.
  • Exercitar-se menos do que 3 vezes por semana.
  • Ter outras condições de saúde que são associadas aos problemas usando insulina, como síndrome do ovário policístico.
  • Ter um histórico de doença cardíaca ou acidente vascular cerebral.
O que é Possível Fazer?: Em todos os estágios da vida, os corpos das mulheres apresentam obstáculos para orientação da Diabetes e açúcar no sangue. Os desafios podem acontecer porque:
  • Os hormônios flutuantes associados com o ciclo menstrual, gravidez, e menopausa tornam isso mais difícil para manter níveis de glicose no sangue apropriados.
  • Algumas pílulas anticoncepcionais podem aumentar a glicose no sangue.
  • A glicose no corpo pode causar infecções de fungo.
Felizmente, há passos possíveis a tomar para prevenir ou retardar diabetes, evitar suas complicações, e administrar os sintomas.