CONSELHEIROS TUTELARES AMEAÇADOS DE MORTE DEPÕEM EM ABREU E LIMA

A Delegacia de Abreu e Lima está investigando ameaças de morte sofridas por dois conselheiros tutelares do município, na Região Metropolitana do Recife (RMR). As vítimas, que preferem não se identificar por motivo de segurança, registraram um Boletim de Ocorrência.
O delegado adiantou que se achar, necessário, poderá solicitar a Justiça e às autoridades outras medidas cautelares para proteger os conselheiros. De acordo com os conselheiros, na manhã de terça-feira passada, dois homens em uma motocicleta invadiram a sede do Conselho Tutelar, procurando pelos dois conselheiros, que não estavam no local. Segundo testemunhas, eles disseram que sabiam onde os dois moravam e que a promessa seria cumprida. As vítimas acreditam que a ameaça pode estar relacionada à exoneração de dois conselheiros tutelares em 2012.
O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) enviou um ofício à prefeitura para solicitar segurança. No entanto, o procurador geral da cidade, Rafael Monteiro, afirmou que não compete à gestão municipal garantir a integridade dos conselheiros, já que Abreu e Lima conta apenas com guarda municipal e vai solicitar reforço ao 17º Batalhão da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), que atua na região.
A Associação Metropolitana dos Conselheiros Tutelares Pernambuco (AMCONTEPE) critica o abandono à segurança dos conselheiros e aponta que após as mortes de três conselheiros em Poção foi registrada uma tentativa de homicídio contra um profissional.
Outros casos – Em março deste ano, o Fórum Nacional de Conselheiros tutelares iniciou um levantamento e revelou que três profissionais de Pernambuco na época conviviam com ameaças de mortes por conta do exercício da profissão. O estudo começou a ser realizado após a chacina no município de Poção, no Agreste do estado, que deixou três conselheiros e uma idosa mortos.
De acordo com o presidente do fórum, Geraldo Nóbrega, dois profissionais ameaçados vivem no Agreste e outro na Mata Norte. As identidades deles e os municípios são mantidos em sigilo. Ele acredita, no entanto, que o número de conselheiros que correm riscos é maior. As ameaças de morte estão relacionadas a denúncias e representações perante a Justiça feitas pelos conselheiros tutelares. Nesta sexta-feira pela manhã também haverá seminário estadual sobre o exercício da profissional, no Centro de Convenções, em Olinda. À tarde serão realizadas oficinas.
Fonte Diário de Pernambuco