BACIA LEITEIRA DE PERNAMBUCO SOFRE COM A SECA

Segundo especialistas a estiagem no agreste pernambucano deve se estender até 2016. Com a estiagem prolongada a abacia leiteira do estado não consegue dar sinais de recuperação.

Já são quatros anos consecutivos sem chuva suficiente para a agropecuária do estado, que antes produzia cerca de 2,5 milhões de leite por dia e hoje só produz 1,5 milhão por dia. Nos últimos anos a criação de gado em nosso estado foi quase dizimada.

Medidas emergenciais foram tomadas, porém não foi suficiente para evitar a morte do gado. A seca só não atinge o gado como qualquer outro setor da agropecuária.

Andar pelo agreste pernambucano é comum se deparar com carcaças de animais que morreram por falta de comida e água. É realmente uma cena deplorável de se ver.


É preciso que os governantes tomem medidas duradouras que ajudem de formar definitiva esses produtores de leite que sofrem com a seca prolongada em nosso agreste.


Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem


Por Wellington Santana ( Diretor geral do Portal Abreu e Lima em Destaque)