CORPO DA JOVEM MARIA ALICE SEABRA É ENCONTRADO EM MATAGAL EM ITAPISSUMA

O corpo da jovem Maria Alice de Arruda Seabra Amorim, de 19 anos, foi encontrado, na tarde desta quarta-feira (24), em um matagal em Itapissuma, na Região Metropolitana do Recife. A vítima, que estava vestida com uma camiseta vermelha e com uma bermuda amarela, tinha uma camisa ao redor do rosto. Conforme informações repassadas pela Polícia, as roupas pertencem ao padrasto dela, Gildo da Silva Xavier, 34, que confessou ter sequestrado e deixado a moça no local.
Buscas foram feitas em Goiana, na Mata Norte do Estado, desde terça (23), mesmo dia em que o pedreiro se entregou. Ele teria informado ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que enforcou Maria Alice, saindo em seguida, mas retornando pouco tempo depois para esconder o corpo. A procura continuou durante a madrugada, mas a falta de iluminação e as fortes chuvas interromperam os trabalhos, que foram retomados na manhã desta quarta, com o auxílio do suspeito.
Por conta da revolta da população, policiais precisaram intervir para manter a segurança do envolvido. Moradores do entorno ajudaram nas buscas, percorrendo estradas de terra da região. O corpo foi encontrado em estado inicial de decomposição. O recolhimento foi feito pelo Instituto de Medicina Legal (IML). Já Gildo foi encaminhado de volta para uma cela do DHPP, no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife. A delegada Gleide Ângelo só deve falar sobre o assunto nesta quinta-feira (24).
As causas do homicídio ainda são desconhecidas, embora a família acredite que o pedreiro pudesse ter ciúme de Maria Alice, pelo fato de ela ter iniciado um namoro, e quisesse vingança, por conta de a jovem ter contado à mãe sobre um relacionamento extraconjugal do padrasto. A moça tinha sido vista pela última vez na sexta-feira (19), quando saiu de casa, no bairro da Estância, na Zona Oeste da Capital, na companhia de Gildo. Ela acreditava que seria levada para uma entrevista de emprego.
Fonte Folha PE