PROFESSORES DA REDE ESTADUAL RECUSAM PROPOSTA DO GOVERNO E DECRETAM GREVE


Professores da rede de ensino estadual rejeitaram a proposta de reajuste de 6% dividido em três parcelas apresentada pelo Governo do Estado. Em assembleia realizada pela categoria, nesta quinta-feira (21) no Clube Português, os profissionais decidiram decretar greve e deflagrá-la no dia 29, com uma reunião marcada para às 14h em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Até lá, os servidores continuarão indo às escolas. No dia 28, eles farão uma mobilização dentro dos colégios usando roupas pretas.
A proposta do governo visava o reajuste de 7% fragmentado em três meses, sendo junho, outubro e dezembro. A categoria reivindicava um aumento nos vencimentos de 13,01% para todos os servidores, referente à Lei do Piso do Ministério da Educação.
    Durante a assembleia, apenas um servidor concordou com o aumento de 6% em três parcelas e foi vaiado. Outros professores reclamaram da proposta oferecida e gritaram pela retomada da greve. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintepe), Fernando Melo, a oferta recusada é "menor do que os 13% esperados". A categoria exigia 19% inicialmente, para concluir a meta de 100% no final do mandato do governo.


    Ainda na quarta (20), aconteceu uma rodada de negociações da campanha salarial. Na pauta dos servidores, 29 dos 40 itens envolvem recursos econômicos. Segundo Fernando Melo, o "governo está atingindo um valor de 26% da folha de pagamento, cerca de R$ 1,6 milhão". Ele ainda cita que governo vai abrir um concurso em 2015 para professores da área de exatas e com renumeração de R$ 3 mil.
    Entre outras reivindicações, o Sintepe pediu acesso dos professores à biblioteca e laboratórios de química e biologia, mas a proposta foi negada com o argumento de que seria perigoso. Do vale refeição, os atuais R$ 7 tiveram um reajuste de 60% e passam para o valor de R$ 11,20 a partir de outubro.
    Por meio de nota, o Governo do Estado afirmou que “recebeu com surpresa” a decisão comunicada pelo Sintepe à Secretaria de Administração “rejeitando a proposta construída conjuntamente em mesa de negociação, após oito reuniões”. O texto esclarece, ainda, que, a partir da decisão de retomar a paralisação, a gestão “retira a referida proposta apresentada na última reunião com a categoria, realizada ontem (20), e suspende imediatamente todos os pontos já acordados anteriormente”.
    Greve
    O ensino da rede estadual passou por uma greve de 21 dias, deflagrada no dia 10 de abril pelos professores e suspensa no dia 04 de maio.

    Fonte Folha PE