NOVA TENTATIVA DE EXPLOSÃO DE MURO NO COMPLEXO PRISIONAL DO CURADO

Arthur Mota/Folha de Pernambuco
A Companhia Independente de Operações Especiais (CIOE) foi acionada para verificar bomba no Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife. Dois homens não identificados teriam deixado um pacote suspeito próximo ao muro do Presídio Agente de Segurança Penitenciária Marcelo Francisco de Araújo (Pamfa), uma das unidades do presídio.
De acordo com a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), os guardas do Complexo perceberam uma movimentação estranha na área externa do unidade prisional, próximo às guaritas 8 e 9 do Pamfa. A segurança da unidade acionou a Polícia Militar e os suspeitos se evadiram do local, deixando o pacote junto ao muro do presídio.
    O Grupo de Operações de Segurança da Seres também foi acionado. A CIOE chegou ao local para verificar o artefato que foi identificado pelo Esquadrão Antibombas como cartucho de emulsão pesando cerca de 1 quilo. Os agentes deslocaram o artefato para dentro de um buraco e provocaram a explosão por volta das 11h30. Segundo os agentes, a quantidade encontrada faria um grande estrago no muro da penitenciária.

    No dia 9 de maio, outra tentativa de facilitar a fuga de detentos ocorreu de maneira semelhante, após uma explosão no muro da unidade. Considerada de pequenas proporções, a explosão atingiu um dos muros externos da guarita 9 do Pamfa e abriu um buraco - não houve fugas e a fissura foi rapidamente tapada por agentes penitenciários. No dia, de acordo com o juiz da 1ª Vara de Execuções Penais, Luiz Rocha, a explosão teria ocorrido de fora para dentro do presídio.
    Por meio de nota, a Seres afirmou que uma série de intervenções está sendo desenvolvida no Complexo Prisional do Curado, principalmente nas áreas de infraestrutura e segurança. "Entre as ações, destacamos o reforço do policiamento externo e das guaritas, feito pela Polícia Militar; ampliação dos alambrados e reforma das muralhas, além do trabalho de apuração dos fatos para identificar responsáveis e possíveis investidas."
    Fonte Folha PE