PROFESSORES DO ESTADO REJEITAM PROPOSTA DE REAJUSTE E CONTINUAM EM ESTADO DE GREVE


Terminou no final da tarde desta quarta-feira (18), a reunião entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) e as secretarias de Administração e de Educação. Mais cedo, a categoria acompanhou a audiência sobre o reajuste salarial oferecido apenas a uma parte dos professores, na Assebleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Em seguida, eles realizaram um protesto, bloqueando a Rua da Aurora, no Centro do Recife.
Segundo o presidente da categoria, Fernando Melo, a essência do encontro acabou sendo o Projeto de Lei que o Governo encaminhou para o Legislativo. Enquanto isso, a categoria permanece em estado de greve, decretado na última sexta-feira (13), e continua rejeitando o aumento proposto pela gestão governamental.
“Esse projeto só contempla parte dos professores, que são somente do Magistério e quem está no início da carreira. Ele contempla somente 4.060 e deixa de fora, aproximadamente, 45 mil ativos e aposentados. É um projeto excludente, que divide a categoria e que descumpre o plano de cargos e carreira”, lamentou Fernando.
De acordo com ele, uma faixa de 1.770 profissionais, que têm o magistério, receberão os 13,01% de reajuste, já que estão abaixo do piso. Além destes, outros 2.280 professores com Licenciatura Plena, que estão no início da carreira, acabaram ficando abaixo do piso após o reajuste, e por isso o Governo corrigiu o salário em 0,89%, para chegar ao teto. Já os outros 45.750 tiveram 0%, segundo o presidente do Sintepe. 
"A nossa luta é para que o Governo aplique o reajuste com repercussão na carreira, como foi  feito de 2011 até 2014. Nesse ano, foi que ele aplicou somente na base da carreira", explicou o professor. 
Para ele, o debate com o secretariado foi positivo, mas como não foi conclusivo, uma nova reunião foi agendada com o Governo, para a próxima semana. “Eles colocaram os argumentos deles, e nós colocamos nossos argumentos. E com isso, ficou agendada uma nova reunião, para as 9h da próxima segunda-feira (23). E às 14h, realizaremos uma nova assembleia, para avaliar o resultado dessas reuniões”, completou ele, lembrando que os próximos desdobramentos também serão discutidos na próxima assembleia.
Fonte Folha PE