NÍVEL DE BARRAGENS DA RMR AUMENTA APÓS CHUVAS, MAS SITUAÇÃO AINDA PREOCUPA

Mesmo com o aumento do volume das duas principais barragens que abastecem a Região Metropolitana do Recife (RMR), provocado pelas chuvas no último final de semana, o atual quadro de abastecimento de água para a população não muda. As precipitações provocaram uma elevação de 83,8% para 88,3% no nível do reservatório de Pirapama, no Cabo de Santo Agostinho, e de 15,4% para 17% em Botafogo, localizada em Igarassu. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (9).
Isso significou uma ampliação de 596 mil e 2,572 milhões de metros cúbicos nos níveis dos mananciais, porém, nem todos tiveram variação positiva. Foi o caso de Tapacurá, em São Lourenço da Mata, que apresentou uma redução, passando de 50,9% para 49,9%. A queda representou uma perda de 130 mil metros cúbicos do líquido.
Segundo o diretor de mercado e atendimento da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Rômulo Aurelio Melo, apesar de as chuvas terem melhorado o nível das barragens, a atual situação de abastecimento não deixou de ser preocupante, em especial, no caso da barragem de Botafogo. "O atual quadro não muda, pois o aumento não foi o suficiente para mudar essa situação crítica", disse.
Botafogo, que continua com um nível muito baixo, só entraria num estágio razoável de fornecimento caso atingisse 45% da sua capacidade de captação. Com isso, ainda não está descartada a possibilidade de utilizar o volume morto do reservatório, que atende às cidades da área metropolitana Norte (Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima).
Fonte Folha PE