COMPESA PODERÁ USAR VOLUME MORTO EM BARRAGEM DO GRANDE RECIFE - Portal Abreu e Lima em Destaque

Notícias

Portal  Abreu e Lima em Destaque

O maior Portal de Notícias da cidade de Abreu e Lima-PE

test banner

Post Top Ad

test banner

Post Top Ad

test banner

domingo, 22 de fevereiro de 2015

COMPESA PODERÁ USAR VOLUME MORTO EM BARRAGEM DO GRANDE RECIFE

Reservatório de Botafogo, em Igarassu, tem apenas 16% da capacidade.
Medida será tomada se não chover dentro dos próximos 30 dias.



Por causa da falta de chuva, a barragem de Botafogo, que fica em Igarassu e abastece quatro cidades da Região Metropolitana do Recife, está com apenas 16% da capacidade de armazenamento de água. O quadro é preocupante e, caso não chova nos próximos 30 dias, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai precisar usar o chamado volume morto do reservatório.

O volume morto é a parte da água que fica abaixo do nível de captação e que não seria usada em condições normais. Se o nível da barragem continuar baixando e chegar a 14%, não será mais possível usar os pontos de captação da água, e a Compesa terá que partir para essa solução extrema.

Os equipamentos para usar a água do volume morto já estão prontos e a previsão é de a operação comece entre 30 e 40 dias. “A qualidade [da água] é inferior, porém, com o tratamento mais adequado e eficiente, a gente consegue deixar no padrão de potabilidade normal, que nosso usuário pode usar normalmente”, informou o diretor regional da Compesa, Fernando Lobo.
Segundo Lobo, com o início do período chuvoso, previsto para abril, a situação da barragem deve ser regularizada. Mesmo assim, ele pede a ajuda dos moradores da Região Metropolitana. "A gente está numa época muito difícil, no terceiro ano consecutivo de seca. Se a população nos ajudar, evitando o desperdício e controlando a água de sua casa, com certeza ela estará colaborando conosco", comenta.
A barragem de Botafogo abastece Olinda, Paulista, Igarassu e Abreu e Lima e, desde 1999, não atingia níveis tão baixos. O racionamento nesses municípios começou em dezembro do ano passado e varia de três a quatro dias sem água e apenas um de abastecimento.
Fonte G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

test banner