BRT TRANSCARIOCA É DE DAR INVEJA AOS PERNAMBUCANOS

O sistema de Bus Rapid Transit, ou melhor dizendo BRT teve sua construção iniciada em 2011, com previsão para ser entregue em 2014. Já estamos no primeiro trimestre de 2015 e ainda não temos todas as estações entregues a população. Enquanto isso sofremos com a demora dos ônibus e a super lotação.
Lendo uma reportagem sobre os BRTS no Rio de Janeiro chego à conclusão que nosso sistema de transporte rápido foi uma aposta jogada no lixo.

 O segundo corredor BRT do Rio de Janeiro, o Transcarioca, é de dar inveja a nós pernambucanos, o mesmo entrou em operação em junho de 2014 para a copa do mundo. São 47 estações funcionando 24 horas, este corredor possui algo de essencial que os dois corredores de BRT da região do Recife não têm que é a via totalmente segregada do tráfego comum.

O Transcarioca possui 39 km de corredor exclusivo, no qual não é incomodado por nenhum tipo de veículo. Alguns trechos, predomina o sistema viário, ou seja, apenas a via BRT existe.

Uma grande diferença que existe entre o nosso sistema e o do Rio de Janeiro são os tipos de estações. Nossas estações são luxuosas- As únicas no Brasil e a segunda no mundo refrigeradas, porém nosso governo se esqueceu do principal, as vias exclusivas. Adianta ter luxo nas estações e não possuir vias exclusivas para os ônibus.

As estações no Rio são simples, com estrutura de alumínio perfurada e um sistema inteligente de ventilação que permite o acúmulo do ar no teto das unidades, lançado para o interior por um sistema de exaustão. Elas possuem vidros, mas não em todas as estações, como ocorre em nosso estado.


Chega-se à conclusão que para se ter um transporte público rápido não é preciso gastar milhões em estações luxuosas, mas sim em vias exclusivas para facilitar o transporte dos ônibus. Qualidade vem antes do luxo!

Reportagem Wellington Santana