FÁBRICA QUE DESPEJAVA MATERIAL QUÍMICO EM RIO DE PAULISTA É INTERDITADA

Poluição das águas estaria causando danos à saúde da população ribeirinha


Fábrica teve o sistema de lançamento de efluente lacrado
Uma fábrica de produtos têxteis, a Paulistex, foi interditada na manhã desta quinta-feira (15), em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A empresa fica localizada às margens da BR-101 Norte, no bairro de Paratibe. Ela é acusada de funcionar sem licença ambiental e de lançar resíduos químicos,como cloros, ácidos, alvejantes e hidróxidos no Riacho do Boi, afluente do Rio Paratibe, que corta grande parte do município. 
Segundo a Secretaria de Meio Ambiente do município, a poluição das águas estaria causando danos à saúde da população ribeirinha. Na ação, realizada pelos técnicos da Secretaria de Meio Ambiente do Paulista, em parceria com a Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma), a fábrica teve o sistema de lançamento de efluente lacrado. Com isso, as águas contaminadas deixam de ser despejadas no rio.
A Paulistex ainda ficará fechada até que todas as irregularidades sejam corrigidas, sendo a principal delas a falta de um sistema de tratamento de resíduos adequado ao volume de produção. O valor da multa, por sua vez, pode chegar aos R$ 200 mil. A fábrica já havia sido interditada pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) em 2009. Em setembro de 2014, após conquistar autonomia, a Secretaria de Meio Ambiente do Paulista voltou ao local e notificou a empresa ao encontrar novas irregularidades. Com o não cumprimento das normas, a fábrica precisou ser interditada.
Fonte Folha PE