IFPE INAUGURA CAMPUS EM OLINDA COM DOIS CURSOS INÉDITOS

Artes visuais e computação gráfica são novidades da instituição.
Outros cinco campi inauguram sedes provisórias nesta semana


Mariana, Isac e Mayana estão ansiosos para o início das aulas no novo campus (Foto: Anna Tiago/G1)
Será inaugurada nesta quarta (15) a sede provisória do campus do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) em Olinda, na Região Metropolitana do Recife. No local, serão ofertados dois cursos inéditos do instituto: artes visuais e computação gráfica. Os 144 alunos das quatro turmas começarão as aulas na próxima segunda (20).
É a primeira vez que cursos técnicos profissionais serão ofertados no município. A instalação do campus Olinda é uma parceria entre a Prefeitura de Olinda e o Governo Federal. O prédio, cedido pela prefeitura, fica localizado no bairro de Jardim Atlântico e, após a mudança do campus para a sede definitiva, abrigará a Escola Municipal Bispo Robinson Cavalcanti. No local, duas salas de aula e dois laboratórios, que funcionarão como ateliês, já estão prontos para receber as quatro turmas.
A futura aluna do curso de computação gráfica, Mariana Cavalheiro, de 21 anos, está ansiosa pelo início das aulas. “Faz uma semana que já acordo pensando que está chegando a hora de começar o curso”, diz. Moradora de Olinda, ela conta que ficou muito feliz com a oportunidade de estudar perto de casa. “Até tentei o vestibular do campus Recife, mas seria muito complicado se deslocar para lá. Aqui é uma oportunidade para as pessoas que moram e trabalham em Olinda. Foi uma mão na roda”, diz.
Luynca Rodopiano, de 21 anos, vai cursar artes visuais e também aprovou a chance de se formar na cidade onde mora. “Achei ótimo. Moro a duas ruas daqui, não pego trânsito nem engarrafamento, não me estresso”, afirma.
De acordo com a secretária de Educação de Olinda, Márcia Souto, os cursos ofertados na unidade foram escolhidos após audiências públicas com participação da população. “Houve uma grande discussão sobre os cursos que seriam implantados. Acho que eles têm a ver com a cidade, Olinda tem essa característica de ter um povo ligado à questão cultural, então esses cursos complementam essa iniciação”, detalha.
Sala equipada com computadores para atividades práticas
(Foto: Anna Tiago/G1)
Os dois cursos foram os mais concorridos da RMR no último vestibular. A ideia é que o campus Olinda seja focado nas áreas das artes. “A unidade veio atender a uma demanda da comunidade, que escolheu de acordo com a identidade do município. Olinda respira cultura, a receptividade tem sido muito boa”, diz Velda Martins, diretora do IFPE Olinda.
Os professores que ministrarão as aulas foram aprovados em um concurso destinado aos novos cursos. Carlos Cabral, professor de artes visuais, diz que o curso é uma oportunidade para os artistas de Olinda legitimarem seu trabalho. “Houve uma grande procura por parte dos artistas. Já fechamos parcerias com vários equipamentos culturais, como museus e galerias de arte, para receber trabalhos dos alunos daqui e recebê-los para trabalhar também”, conta. Para ele, há uma carência de mão de obra qualificada para espaços culturais. “Com uma profissionalização técnica, é mais fácil de ser absorvido”, diz.
O produtor cultural Isac Teixeira, de 34 anos, já trabalha com desenho e pintura e espera aprimorar o desempenho. “Olinda tem muitos talentos, precisava desse tipo de curso para dar oportunidades e mostrar caminhos para você aplicar seus conhecimentos. Era o curso que faltava aqui”, ressalta.
Mais 144 vagas devem ser preenchidas no próximo ano. As inscrições para o vestibular do IFPE estão abertas e seguem até 19 de outubro. Para se inscrever, o candidato deve acessar o site da instituição e pagar uma taxa de R$ 20 para cursos técnicos.
Novos campi
Além do campus de Olinda, outras cinco unidades do IFPE começarão as atividades no dia 20 de outubro em sedes provisórias: Paulista, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Igarassu, na RMR; e Palmares, na Mata Sul.

São mais de 600 alunos distribuídos nos cursos técnicos de logística, meio ambiente, informática para internet, redes de computadores, manutenção e suporte em informática e redes de computadores. O município de Abreu e Lima também estava cotado para receber uma unidade provisória, mas não cedeu o espaço para o IFPE dentro do prazo.
Os locais das sedes definitivas dos campi foram cedidos pelas prefeituras ao Governo Federal. Com exceção de Olinda, que ainda aguarda uma decisão judicial para a posse definitiva do terreno, todos os municípios já realizaram a transferência do espaço para o IFPE.
“Só podemos fazer qualquer intervenção quando temos a posse definitiva do terreno em poder do Governo Federal. Por razões diversas, por serem cidades da Região Metropolitana e da Mata Sul com alta densidade populacional e por necessitar ceder um terreno nas condições previstas pelo Ministério da Educação, houve um atraso”, diz o presidente da Comissão de Expansão do IFPE, Daniel Assunção.
O campus do Cabo de Santo Agostinho já está com a licitação em andamento. Os outros campi estão finalizando os projetos. “Alguns campi vão ter as obras iniciadas no início do próximo ano. A média de construção de um campus é de 10 a 12 meses, a depender do projeto”, pontua o presidente.
Atualmente, o IFPE conta com campi em Afogados da Ingazeira (Sertão); Barreiros (Mata Sul); Vitória de Santo Antão (Zona da Mata); Belo Jardim, Caruaru, Garanhuns e Pesqueira (Agreste), além de Ipojuca, na Região Metropolitana, e Recife.
Fonte G1 PE