DIA DO IDOSO

No dia 1º de outubro, comemora-se o Dia do Idoso, uma homenagem à terceira idade. São consideradas idosas as pessoas com mais de 65 anos.


O dia 1º de outubro é o dia em que se homenageia o idoso com uma data especial.
Segundo a Organização Mundial da Saúde, são consideradas idosas as pessoas com mais de sessenta e cinco anos de idade, chamados também de grupo da terceira idade.
À medida que envelhecem, a aparência física das pessoas vai se modificando. Aparecem rugas e manchas na pele, as costas podem ficar encurvadas e aparecem cabelos brancos. Além disso, a velhice pode vir acompanhada de problemas de saúde, com doenças próprias da idade, como os males de Parkinson e Alzheimer, incontinência urinária, diminuição das funções neurológicas, como a perda da memória e lentidão de raciocínio.
Para evitar esses problemas, é importante que a pessoa, ainda na idade adulta, prepare-se fisicamente para envelhecer bem.
Para isso, deve praticar atividades físicas regularmente, como caminhadas, jogos de vôlei, peteca, dança de salão; fazer palavras cruzadas ou jogar cartas para estimular o cérebro e ler com frequência. Assim, quando a velhice chegar, o idoso poderá participar de cursos artesanais; participar de festividades próprias para sua idade; fazer excursões com amigos; se integrar com outras pessoas, pois mesmo estando na terceira idade, encontrará vários prazeres para sua vida.
Os idosos devem ser tratados com respeito, pois são pessoas mais velhas e possuem muita experiência de vida. Devem encontrar apoio de suas famílias, receberem atenção, carinho e cuidados necessários para manter sua estabilidade emocional.
Muitas famílias não dedicam cuidados às pessoas idosas de seu meio, levando-os para abrigos. É injusto que isso aconteça, salvo por maiores necessidades, pois os mesmos, quando mais novos, se dedicaram a cuidar de todos os elementos da família. E até hoje é assim. Quem nunca viu avôs cuidando de netos enquanto seus filhos saem para trabalhar?
Os idosos possuem seus direitos garantidos por Lei. A partir de primeiro de outubro de 2003 entrou em vigor, no Brasil, o Estatuto do Idoso. O documento apresenta várias normas a serem cumpridas e respeitadas pela população. “Têm por objetivo deliberar sobre políticas públicas, controlar ações de atendimento, além de zelar pelo cumprimento dos direitos do idoso, de acordo com o novo Estatuto”, sendo mais um instrumento para o exercício da cidadania.
Segundo a Lei, a condição de fragilidade dos idosos, se comparada às outras pessoas, merece proteção diferenciada, a fim de dar-lhes melhores condições de vida nos meios públicos, privados e na própria família, visando o seu bem-estar.
Quando falamos em inclusão social, pensamos somente em pessoas com alguma deficiência física ou mental, mas na verdade, a inclusão deve acontecer para todos os portadores de necessidades especiais, sendo os idosos parte desse grupo.
Alguns direitos dos idosos são mais fáceis de vivenciarmos: existem atendimentos preferenciais para os mesmos em bancos, supermercados; não precisam enfrentar filas (somente as de idosos); tem acesso livre em ônibus urbanos; vagas especiais nos estacionamentos; 50% de descontos em atividades de cultura, esporte e lazer; distribuição de remédios de hipertensão e diabetes gratuitamente; não podem sofrer discriminação por idade na contratação para o trabalho.
É um privilégio chegar à velhice, afinal, só se torna idoso quem vive!

Fonte:Jussara Barros,do Mundo Educação