SPORT ROMPE DE VEZ COM A TORCIDA JOVEM

JOSÉ NEVES CABRAL
As torcidas organizadas surgiram para dar apoio aos clubes, agrupar pessoas em torno de uma causa, de uma forma diferente de torcer. A partir dos anos 90, começaram as primeiras brigas envolvendo componentes deste segmento do futebol contra torcedores “adversários”.
Veio uma legislação mais pesada, cobrando das agremiações a conta pelo vandalismo daqueles que se identificam com as cores e o símbolo de cada clube. As punições com a perda do mando de campo por causa de brigas de grupos organizadores provocaram um racha que não deve ter volta.
Nesta quinta-feira, em almoço com alguns cronistas esportivos, o presidente do Sport, João Humberto Martorelli, anunciou o rompimento unilateral da agremiação rubro-negra com a Torcida Jovem, principal organizada do Sport.
“O Sport é contra a Torcida Jovem. Repudiamos todas as atitudes deles. Não damos ingressos, não podem usar escudo do clube, não financiamos viagens e nem espaço para guardarem mais nada nas dependências do clube”, disse o presidente do clube.
Martorelli também informou que o Sport e a Torcida Jovem estão brigando na Justiça. “Eles não podem usar camisas do Sport, nem símbolos do clube em seus produtos”, acrescentou. O dirigente rubro-negro estava acompanhado de André Fontenelle e Arnaldo Barros, componentes da diretoria do clube.
Ele disse que convidou os cronistas para um bate-papo informal a fim de aproximar mais a imprensa do clube. “Estamos sempre abertos ao diálogo”, avisou. Indagado se pretende se candidatar à reeleição, Martorelli respondeu que, por enquanto, é candidato apenas a trabalhar pela causa do clube.
Como o novo calendário do futebol brasileiro prevê apenas 12 datas para o Estadual, que será disputado simultaneamente ao Nordestão, Martorelli disse que vai optar pela competição mais rentável para o clube. Deixou nas entrelinhas que o Sport poderá utilizar um “expressinho” durante o Estadual.
Fonte:Folha Pe