ORKUT SERÁ DESATIVADO EM SETEMBRO

Segundo Google, energias da empresa serão concentradas em outras redes sociais


Quem nunca entrou no Orkut para ler a Sorte do Dia, ou então descobrir se tem novos fãs, cuidar das plantações na Fazendinha Feliz, brincar com o Buddy ou participar de comunidades icônicas como "Odeio acordar cedo", "Eu sou para casar", "Por que os orelhões têm letras?", "Eu já tive um pirocoptero" ou "Minha sombra me persegue"? A rede social, que conquistou brasileiros há 10 anos, teve seu fim decretado pelo Google Brasil. No dia 30 de setembro deste ano a ferramenta será descontinuada para que a empresa "concentre as energias e recursos para tornar outras plataformas sociais [YouTube, Blogger e Google+] ainda mais incríveis para todos os usuários".
Rede social completou 10 anos em janeiro de 2014. Comunidades icônicas marcaram o Orkut


    Já nesta segunda-feira (30), não será mais possível que novos usuários criem novas contas nas redes sociais. Segundo o Google, não haverá impacto para os antigos usuários do Orkut. Todas as informações do perfil, mensagens de comunidades e fotos usando o Google Takeout, disponível até setembro de 2016, podem ser exportadas para outras contas.

    Das comunidades públicas, a gigante das buscas irá disponibilizar um arquivo online com todas elas a partir do dia 30 de setembro. Caso o usuário não deseje ter seu nome na lista, basta remover o Orkut permanentemente da conta do Google.
    No anúncio feito pelo Google, a empresa pede desculpas para os que ainda utilizam regularmente o Orkut. "Foram 10 anos inesquecíveis. Esperamos que vocês encontrem outras comunidades online para alimentar novas conversas e construir ainda mais conexões, na próxima década e muito além". A Central de Ajuda já foi atualizada para auxiliar os usuários sobre as mudanças e a desativação da rede social.
    O Orkut completou 10 anos em janeiro de 2014 com um total de 6 milhões de usuários, na sua maioria brasileiros. Quando lançada no Brasil, a rede social chegou a reunir 34,4 milhões de perfis ativos. Em fevereiro deste ano, o FolhaPE publicou uma matéria sobre pessoas que ainda mantinham sentimentos nostálgicos pela página.
    Fonte Folha PE