DOIS SÃO AUTUADOS EM FLAGRANTE PELA MORTE DE MOTOCICLISTA ATINGIDO POR VIDRO NA BOA VISTA

Proprietário de empresa e funcionário pagaram fiança de R$ 10 mil e foram liberados


Vítima agonizou antes da chegada do SAMU
Um motociclista morreu na noite do último sábado (7) devido à queda de uma placa de vidro de uma das estações do BRT, na avenida Conde da Boa Vista no bairro da Boa Vista. Segundo informações enviadas por leitores, por meio doWhatsApp do Portal FolhaPE (81-8187-9290), Marcelo Lúcio Marcelino da Silva, de 43 anos, passava pelo local, quando a placa caiu acidentalmente e o atingiu. De acordo com o advogado da construtora Mendes Júnior, duas pessoas foram autuadas em flagrante.
Ainda segundo os populares, a mãe da vítima esteve no local, e estava bastante desesperada, pois o homem ainda estaria agonizando. Ele morreu antes da chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), cerca de 15 minutos depois do acidente. Com a chegada da ambulância, os socorristas ainda tentaram reanimar o homem, mas não obtiveram sucesso. O corpo do homem foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro.
De acordo com a família de Marcelo, o corpo deverá ser liberado do IML por volta do meio-dia deste domingo. O enterro está marcado para as 17h, no cemitério de Santo Amaro. Segundo o irmão do motociclista, a família deve procurar a Justiça. "Nós vamos tomar providência na Justiça, pois deveriam ter interditado a área. Do mesmo jeito que aconteceu com ele, pode acontecer com qualquer pessoa", declarou o irmão da vítima, o motorista José Marcos Pereira da Silva, de 38 anos.
Por meio de nota, a secretaria das Cidades respondeu que já comunicou ao Consórcio Mendes Júnior/Servix, responsável pela obra de construção do corredor Leste/Oeste na Conde da Boa Vista. Segundo o órgão, já está sendo realizada a apuração dos fatos para que sejam tomadas as providências cabíveis.
Em contato com a reportagem do FolhaPE, o advogado da construtora, Ernesto Cavalcanti, informou que o proprietário da terceirizada responsável pela obra, Eduardo Ferreira, e outro funcionário de identidade não revelada, foram autuados em flagrante. "Eles pagaram a fiança de R$ 10 mil e foram postos em liberdade. Caso não pagassem, teriam sido levados para o Cotel", afirmou Ernesto. O delegado Gilderley Alves Gondim da 3ª Turma da Central de Plantão foi quem atendeu o caso. A dupla deverá responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.
Fonte Folha PE