LIDERANÇA PÕE FIM À GREVE DOS POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS EM PERNAMBUCO

Após uma nova reunião com deputados da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), líderes do movimento grevista dos policiais militares e bombeiros de Pernambuco aceitaram os termos propostos pelo Governo, que não incluem os reajustes de 30% e 50% nos salários da categoria, apontando o fim da greve no Estado, que já durava 48h. Entretanto, ao levar a decisão, em assembleia, à massa de profissionais que esperava desde o início da tarde desta quinta-feira em frente ao Palácio do Campo das Princesas, uma parcela dos policias e bombeiros não aceitaram o acordado, inclusive chamando a liderança de 'covarde'.
Mesmo com a negação de uma parte da categoria, o líder do movimento, Joel da Harpa, reiterou a decisão, afirmando que a greve terminou e que o reajuste de salários seria debatido no início de 2015, já com um novo governador em exercício e sem a limitação da lei eleitoral, que proíbe aumentos não programados de salários para funcionários públicos em ano de eleição. Ainda segundo Joel da Harpa, a orientação da liderança do movimento grevista é de que os policiais e bombeiros, até o momento em greve e aquartelados, voltem ao trabalho imediatamente. No entanto, ainda não existem informações confirmando a volta da categoria ainda para esta noite.
Além do aumento de aumento de 14,55% em seus salários a partir de junho - reajuste previsto desde 2011 - os policiais militares e bombeiros terminaram a greve garantindo alguns pontos de suas reivindicações. Eles terão a incorporação da gratificação por risco de morte ao salário base para profissionais ativos e inativos, a reformulação do plano de cargos e carreiras com reunião marcada já para a próxima segunda-feira (19) e a reestruturação do Hospital da Polícia Militar, além da promessa da criação de unidades de saúde para a categoria no Interior do Estado.
Fonte:Folha PE