ESTUDANTES ACAMPAM EM FRENTE AO COTEL EM PROTESTO CONTRA A PRISÃO DE UNIVERSITÁRIO DETIDO EM MANIFESTAÇÃO - Portal Abreu e Lima em Destaque

Notícias

Portal  Abreu e Lima em Destaque

O maior Portal de Notícias da cidade de Abreu e Lima-PE

test banner

Post Top Ad

test banner

Post Top Ad

test banner

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

ESTUDANTES ACAMPAM EM FRENTE AO COTEL EM PROTESTO CONTRA A PRISÃO DE UNIVERSITÁRIO DETIDO EM MANIFESTAÇÃO


Estudantes acampam desde ontem à noite em frente ao Centro de Triagem Abreu e Lima (Cotel). A vígilia é pela liberdade do universitário Bruno Mendes Soares, 19 anos, conhecido como Bruno Torres. Detido durante os protestos em defesa do passe livre e de uma CPI do transporte, na última quarta-feira, no Centro do Recife, Bruno foi preso após ser autuado em flagrante sob a acusação dos crimes de danos ao patrimônio público, desobediência e corrupção de menores. Ao todo, 16 pessoas foram detidas no protesto.

“Vamos ficar acampados até que Bruno seja solto”, disse a estudante Milena Cristina, integrante da Unidade Vermelha, um dos grupos da Frente Popular Independente (FIP). Os acampados garantem que vão aguardar a decisão da Justiça, a ser acionada hoje por advogado que defende Bruno.

O universitário foi encaminhado ao Cotel pelo crime de corrupção de menores, o que não cabe fiança. Os demais responderão a processos por dano ao patrimônio público, no caso a quebra de vidros do posto do VEM, na Boa Vista, e resistência à prisão. Das nove pessoas maiores de idade que foram libertadas ontem, oito pagaram fianças no valor de um salário mínimo. Os adolescentes foram liberados.

Entre os argumentos do pedido de liberdade para Bruno, adiantou o advogado Marcos Bezerra de Lima Júnior, está o de que o posto do VEM não é patrimônio público, mas privado. “Além de Bruno não ter quebrado a vidraça, fica claro na nota divulgada pelo sindicato das empresas de ônibus que o posto pertence à iniciativa privada”, alegou. Em nota à imprensa, o Urbana-PE condenou o vandalismo e afirma que o posto é fruto de investimento do sindicato.

Os registros de flagrante contra os 16 acusados foram feitos pelo delegado de plantão da GPCA Antônio Campos. A Polícia Civil tem dez dias para concluir o inquérito e encaminhá-lo à Justiça.

Via Diário de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

test banner