DILMA DEFENDE MAIS MÉDICOS, MESMO COM ALTA EVASÃO - Portal Abreu e Lima em Destaque

Notícias

Portal  Abreu e Lima em Destaque

O maior Portal de Notícias da cidade de Abreu e Lima-PE

test banner

Post Top Ad

test banner

Post Top Ad

test banner

sábado, 14 de setembro de 2013

DILMA DEFENDE MAIS MÉDICOS, MESMO COM ALTA EVASÃO

Em Uberlândia, a presidente sai em defesa do programa, que teve a procura de apenas 28,3% de profissionais formados no Brasil na nova fase


Com a popularidade em recuperação, em grande parte devido ao programa Mais Médicos, a presidente Dilma Rousseff saiu ontem em defesa da contratação de profissionais de saúde estrangeiros para atender a demanda de municípios sem médicos no interior do país e na periferia das capitais. “Saúde é inegociável”, disse Dilma, em entrevista a emissoras de rádio em Uberlândia (MG). “Temos de colocar a saúde da população em primeiro lugar. E qualquer outra consideração, em segundo”, reforçou a presidente, em resposta a críticas contra a iniciativa. A declaração ocorreu no mesmo dia em que o Ministério da Saúde divulgou balanço mostrando que o número de profissionais formados no Brasil que confirmaram participação no segundo ciclo do Mais Médicos corresponde a apenas 28,3% do total de inscritos nessa fase.

Das 1.414 pessoas que se cadastraram inicialmente, somente 400 fizeram homologação e devem trabalhar na atenção básica em 217 municípios e 10 distritos de saúde indígena. A maioria (160) atuará no Nordeste. No primeiro ciclo, 1.096 profissionais com diploma brasileiro homologaram participação, no entanto, houve desistências e, até quarta-feira, só 511 médicos haviam começado a trabalhar.

No total, 4.025 municípios e 35 distritos indígenas inscreveram-se no programa e geraram a demanda de 16.625 profissionais. Agora, começa a fase de registro de médicos estrangeiros. De 1.602 inscritos inicialmente, 410 já concluíram o concluir cadastro. A baixa adesão dos profissionais brasileiros também serviu de argumento para Dilma. “A gente respeitou os médicos brasileiros, nós chamamos primeiro eles, e depois os médicos cujo diploma não é dado no Brasil.”

Considerado hoje, dentro do governo, como a resposta mais bem sucedida da presidente às manifestações de junho, o Mais Médicos é fortemente contestado por entidades de classe. Ainda assim, o programa é apontado como o principal fator da recuperação da imagem de Dilma em pesquisas de opinião. O último levantamento realizado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgado no início da semana, registrou 73,9% de opiniões favoráveis à medida, que prevê a contratação de médicos estrangeiros para suprir carências de pessoal em municípios no interior do país. Em julho, pouco depois do lançamento do programa, a aceitação era de 49,7%. O crescimento é comemorado no Palácio do Planalto e tratado como um trunfo de Dilma para a disputa eleitoral.

Via Diário de pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

test banner