Éden denuncia precariedade no posto de Engenho Novo


O vereador Éden Pedro (PDT), após receber reclamações de moradores, resolveu fazer uso de sua prerrogativa de fiscalizar e visitou o posto de saúde da comunidade de Engenho Novo, na Zona Rural do município. Lá identificou um completo descaso com a população. Pacientes reclamam que o único médico da unidade só trabalha uma vez na semana, com um atendimento abaixo do esperado, e a enfermeira do PSF só está presente duas vezes por semana, além de realizar consultas pediátricas sem a devida capacitação. O posto de saúde está funcionando dentro de uma escola municipal em péssimas condições estruturais: fiações expostas, infiltrações, além de salas e banheiros sem portas. “Para se ter uma ideia do  esquecimento em que vive a comunidade, as fichas utilizadas para preenchimento de informações dos pacientes ainda são da gestão do ex-prefeito Jerônimo Gadelha. O ambulatório, que funciona no que deveria ser uma sala de aula, está sem portas e tem remédios espalhados pelo chão”, denunciou o vereador.
De acordo com Éden Pedro, ele disse à reportagem da Folha Metropolitana que a paciente Maria do Carmo foi até o posto de saúde para aferir pressão arterial e realizar exame de glicose, “mas ao chegar à unidade de saúde foi informada de que não poderia ser atendida,  pois não havia quem realizasse o atendimento e a responsável estava em capacitação”,  comentou ele, ressaltando que ouviu a reclamação da senhora Micilene que levou sua filha para ser vacinada, mas sem sucesso e voltou para casa, já que não havia vacinas e muito menos quem a aplicasse. “Populares afirmaram que a Prefeitura tem adotado a prática de colocar as placas com valor estimado das obras na localidade, tirar fotos e depois removê-las”, criticou Éden Pedro, que ainda ouviu os funcionários do posto de saúde, que reivindicam a abertura de processo de concurso público para a saúde em Abreu e Lima, além de melhores condições de trabalho. Éden que, recentemente, denunciou nos meios de divulgação o descaso na Rua Alto da Bela Vista, com uma obra mal planejada no valor de 179 mil reais, também criticou o mau uso do dinheiro público em Abreu e Lima: “Eu, Éden Pedro, sou contra o desperdício do dinheiro público, bem como a sua má aplicação.
Os abreulimenses estão precisando de um gestor que cuide bem da saúde, da educação, que desenvolva políticas públicas que atendam aos anseios da população. Defendemos ainda que o posto de saúde de Chã de Cruz e de Engenho Novo passem a funcionar de maneira digna “e que o pastor Marcos José devolva ao povo dessas comunidades as ambulâncias retiradas pelo perseguidor dos menos favorecidos, o ex-prefeito Flávio Gadelha”, completou.
PREFEITURA
Procurada pela Folha Metropolitana, a assessoria de imprensa informou que iria dá uma resposta sobre as denúncias no PSF de Engenho Novo. Mas até o fechamento dessa edição (19h), não havia chegado nenhuma nota da Prefeitura.
Fonte:http://folhametropolitana.com.br/