Colônia Feminina de Abreu e Lima volta à normalidade





A situação retornou à normalidade  nesta segunda-feira Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR). Esta manhã, a movimentação no local ficou por conta dos familiares das presas, que foram até a unidade prisional para ter informações sobre as detentas. 

De acordo com a Secretaria Estadual de Ressocialização (Seres), uma viatura do Corpo de Bombeiros foi ao local para realizar uma prontidão preventiva, descartando a hipótese de uma retomada no clima de tensão vivido ontem na unidade.  
No final da noite de domingo, três detentas foram socorridas após um princípio de rebelião. Por volta das 21h, as presas do pavilhão B atearam fogo em colchões em protesto contra a redução de 8kg para 5kg do peso total de alimentos que as famílias podem encaminhar para as detentas, contra a proibição da entrada de crianças menores de um ano de idade e contra os maus tratos promovidos por um agente penitenciário.

O Batalhão de Choque foi acionado para conter o motim. O Corpo de Bombeiros também enviou uma equipe ao local para conter as chamas. Duas presas receberam socorro médico no local e outra foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jardim Paulista. Uma sindicância será aberta para investigar o caso. Parentes das mais de 200 mulheres que ocupam o pavilhão ocuparam a frente da unidade em busca de informações.
Com informações da repórter Eliane Nóbrega, da TV Clube

Fonte :Diário de Pernambuco