Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima recebe doação de kits de higiene

Detentas da unidade prisional serão presenteadas com shampoo, condicionador, creme 
para pentear, sabonete, creme dental, pasta de dente e absorventes
Comovidas com a situação de tortura e maus tratos denunciada em dezembro do ano passado na Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima, grupo de mulheres da greja Adventista do Recife resolveu arrecadar produtos de higiene para doação. Na tarde desta quarta-feira, 600 kits serão distribuídos com as presidiárias. Cada sacolinha, contém itens básicos para a higiene da mulher: shampoo, condicionador, sabonete, desodorante, pasta de dente, escova, e absorventes. 

A doação será feita por representantes da própria igreja, a partir das 14h, em uma programação especial. Segundo a coordenadora do projeto, uma campanha que só está começando: “A nossa meta é muito maior! Queremos poder fazer esse mesmo projeto em outros presídios, e assim, doar um pouco daquilo que temos e podemos para essas mulheres que tantas vezes são esquecidas por quem está aqui do lado de fora”, explica Claúdia Oliveira.  Além dos kits de beleza, ainda serão distribuídos gratuitamente às detentas 1,2 mil livros e revistas que falam sobre violência, maus-tratos, e esperança em meio a dor.

PROJETOS - A Igreja Adventista é parceira do Patrionato Penitenciário Pernambucano, e conta com diversas ações para atender gratuitamente presidiários e liberados no estado. O presídio de Igaraçu conta com um curso de Panificação que funciona dentro da unidade ensinando uma nova profissão aos detentos. Na Casa da Cultura, ex-presidiários, liberados e suas famílias recebem curso de Costura Industrial, que conta com duas turmas, e, atualmente, em quatro aulas por semana, atende 60 pessoas. No presídio de Paratibe, em Paulista, 30 detentas realizam o curso de Depilação Profissional, com aulas ministradas por uma professora voluntária, e equipamentos e materiais doados pela Fundação Advent-Stuiftung, organização sem fins-lucrativos da Igreja Adventista.  
Fonte:Diario de Pernambuco