Prefeitura de Abreu e Lima paga pela última vez mais de 200 auxilio moradia


Famílias foram contempladas com apartamentos do Minha Casa, Minha Vida, na cidade
A realidade de mais de 200 moradores de Abreu e Lima mudou a partir de hoje (quarta, 04). Quando receberam pela última vez da Prefeitura da cidade o valor correspondente ao auxilio moradia. A partir de agora eles saíram da incerteza de morar em uma casa alugada para morar na casa própria. São os primeiras contempladas com uma das unidades do conjunto residencial Tupi, construído em Abreu e Lima dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida do Governo Federal. O maior empreendimento do programa em Pernambuco, com mais de 2 mil apartamentos erguidos pelas construtoras Queiroz Galvão e Exata Engenharia.
Edna Maria do Nascimento Barbosa, 36 anos, é uma dela. Solteira e mãe de 10 crianças Edna morava em uma casa na Rua da Redenção, no Fosfato, onde nasceu e foi criada. Depois que a Defesa Civil Municipal constatou que sua casa estava em área de risco, Edna Maria passou a receber auxílio moradia por cinco anos, até receber a chave de sua residência própria.
Edna Maria também assistida pelo programa Bolsa Família do Governo Federal, no valor de R$ 602,00, que vai garantir o pagamento das prestações de seu apartamento no valor de R$ 25,00. Cinco dos seus 10 filhos são alunos da rede municipal de ensino de Abreu e Lima. “Os maiores são alunos da rede estadual. Eles terão uma realidade diferente da minha que tive poucas oportunidades”, diz feliz Edna Maria que já está instalada em sua nova morada.
Outro que auxilio moradia é coisa do passado é Ana Claudia de Farias, 26, mãe de uma menina e grávida de quatro meses. Ela também era moradora do bairro do Fosfato e com a casa ameaçada de desabar passou a receber auxilio moradia da Prefeitura de Abreu e Lima. “Foram cinco anos de incertezas apesar da Prefeitura pagar corretamente o auxilio. Agora vou morar no que é meu”, diz ela que já fez a mudança para o Conjunto Tupi no último final de semana. Ela também é assistida pelo Bolsa Família, no valor de R$102,00, e diz que vai precisar fazer faxina ou outros serviços para garantir o pagamento de R$ 25,00 todos os meses da Caixa.
Regina Cely Evangelista da silva, 23, mãe de uma única filha, era moradora do bairro de Desterro. Sua casa na Rua Tijipió corria risco de desabamento. Foi inserida no programa de auxilio moradia da Prefeitura de Abreu e Lima, por mais de um ano, até ganhar a chave de seu apartamento no último dia 12 de setembro. “Agora é vida nova para mim e minha filha”, diz Regina Cely, feliz com a sua nova realidade.