Municípios correm o risco de perder unidade do Instituto Federal de Pernambuco. Só Paulista e Abreu e Lima sabem onde será construído o Instituto - Portal Abreu e Lima em Destaque

Notícias

Portal  Abreu e Lima em Destaque

O maior Portal de Notícias da cidade de Abreu e Lima-PE

test banner

Post Top Ad

test banner

Post Top Ad

test banner

segunda-feira, 19 de março de 2012

Municípios correm o risco de perder unidade do Instituto Federal de Pernambuco. Só Paulista e Abreu e Lima sabem onde será construído o Instituto

 Das sete cidades escolhidas para receber uma unidade do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), que está na sua terceira etapa de expansão no Estado, apenas duas, até o momento, cumpriram suas partes no acordo firmado junto ao Ministério da Educação (MEC). Para receberem o benefício, as prefeituras precisam apenas doar um terreno com, no mínimo, dois hectares. O primeiro prazo para a doação terminou no último dia 1º e só os municípios de Paulista e Abreu e Lima já sabem onde o prédio do IFPE será construído. Os retardatários têm até o final do mês de abril para solucionarem o problema.
A pró-reitora de articulação e desenvolvimento institucional do IFPE, Maria José Amaral Morais, explicou que os terrenos que precisam ser doados definitivamente para o Instituto não podem ter nenhuma restrição administrativa. “Só iremos construir quando toda a documentação estiver pronta. Além disso, o espaço deve estar em condições de execução da obra e ter, no mínimo, dois hectares. No entanto, a dimensão ideal é de cinco hectares, podendo ser mais. Caso o segundo prazo estipulado termine, quem não cumpriu o acordo, poderá perder o benefício”, alertou.

A demora na doação dos terrenos chama a atenção do IFPE, pois as outras etapas de expansão da instituição, que exigiam mais das prefeituras, ocorreram com mais tranquilidade. “Na expansão 2 da rede federal, pedíamos, além do terreno, outros benefícios”, disse a pró-reitora. Para cada nova unidade que será construída devem ser investidos R$ 7,5 milhões. Com esse dinheiro serão montadas estruturas para ofertar cursos que serão oferecidos de acordo com a característica socioeconômica de cada município.
Segundo a pró-reitora Maria Morais, dos municípios que ainda faltam doar o terreno, dois deles, Olinda e Igarassu, já teriam dado a posse provisória, o que não basta para as obras serem executadas. “Precisamos da doação definitiva, caso contrário, nada será feito”, alertou. A assessoria de Imprensa da Secretaria de Educação de Olinda avisou que uma comissão está tratando do assunto. Já o presidente da Empresa de Urbanização de Igarassu, Aroldo Beserra, garantiu que uma área de três hectares já foi desapropriada e outra de dois mil metros quadrados também vão ser repassados para o IFPE. Para a transação ser concluída, o poder executivo espera a Câmara de Vereadores aprovar a ação.

Fonte: Folha PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

test banner